É sobre você

by

family

Nas sociedades antigas as pessoas se casavam por motivos muito diferentes dos motivos de hoje. As famílias combinavam casamentos visando proteger seus status na sociedade, sua riqueza e seu nome. Os cônjuges acabavam casando na maioria das vezes para satisfazer os anseios dos pais de manutenção do lugar da família e os motivos eram portanto dinheiro, status, honra e coisas do tipo. Esses casamentos eram claramente construídos sobre uma mentalidade autocentrada: “É sobre mim”. Hoje os motivos são diametralmente opostos e na superfície parecem ser muito diferentes, mas no fundo é a mesma mentalidade.

Pensando em termos de história, não faz muito tempo que as pessoas passaram a casar por amor mas esse “por amor” significa: estou a procura de alguém que me faça feliz. Continuamos pensando de maneira autocentrada, continuamos dizendo: “É sobre mim!”. O grande problema é que quando o Criador desenhou o casamento, o desenhou com as linhas da vida da Trindade: o Eterno nos fez a sua imagem e semelhança (Gn 1.26-28). E como pensa, como vive, como se relaciona a Trindade? O Pai vive para o Filho e para o Espírito. O Filho honra o Pai e aponta para o Espírito. O Espírito testemunha do Filho e revela o Pai. Na Trindade, nada é sobre mim, é tudo sempre sobre você.

O casamento foi desenhado assim e quando compreendemos isso tudo muda de figura, pois quando duas pessoas dizem uma a outra com total reciprocidade “É sobre você!” uma dinâmica maravilhosa se estabelece entre elas de cuidado mútuo, amor, respeito, serviço e a vida da Trindade passa a fluir nesse relacionamento. Não há preocupação em ser prejudicado, não há medo na submissão, não há tirania nem imposição na liderança. O que há? Vida, vida abundante Deles em nós.

Pr. Jeferson C. Alvarenga.

share

Recommended Posts