Minha Conexão Comigo Mesmo

Minha Conexão Comigo Mesmo
by

A fé cristã em sua essência tem a ver com relacionamentos. O Evangelho é o trabalho salvador de Jesus Cristo para nos reconectar em um relacionamento de amor ao Deus Trino Criador e nos reconectar ao próximo. Os teólogos frequentemente enfatizam o relacionamento com Deus e com o outro em seus textos, mas muitas vezes há uma relação que fica um pouco esquecida: a nossa relação conosco mesmos. Nos salmos 42 e 43 por exemplo vemos o salmista falando consigo mesmo: “Por que você está deprimida, minha alma? Por que chora de melancolia?” (v.11 – A Mensagem). Pensamos que é mera retórica, como se fosse um recurso de linguagem, mas o fato é que naquele encontro com o Eterno o salmista vê a si mesmo refletido no espelho da glória de Deus e vê sua alma abatida, deprimida, chorosa, desconsolada… Como que dando um tapa nas costas de si mesmo, o salmista fala para sua própria alma: “Olhe para Deus, e logo o louvará outra vez!” (v.11). Que coisa maravilhosa: o Eterno nos criou com a capacidade de nos relacionarmos com Ele e com o outro, mas nos deu também a capacidade de nos relacionarmos conosco mesmos.

Como você se vê? Como é a sua auto estima? Você aceita a si mesmo? Existem partes de você que você repudia ou das quais se envergonha? Você se compara com as pessoas? Como é essa comparação? Você se vê grande, muito muito grande ou minusculamente pequeno? O que não percebemos é que a maneira como nos relacionamos conosco mesmos pode ser desequilibrada, em um amor exagerado por nós mesmos beirando um narcisismo doentio ou em uma repulsa a nós mesmos, um ódio de si que nos leva a atitudes auto destrutivas. Jesus nos ensinou a amar o outro como a nós mesmos (Mc 12.33). Paulo achou importante reafirmar o ensino do Mestre (Gl 5.14), e por que? Talvez por que neste mandamento esteja a ordem de  amar o outro e também de amar a si mesmo, pois não posso odiar a pessoa que Jesus ama, inclusive quando esta pessoa sou eu mesmo.

Pr. Jeferson C. Alvarenga

share

Recommended Posts