Aprender a Descansar… No Senhor

Aprender a Descansar... No Senhor
by

Você já teve tempo para refletir como vivemos sem tempo? Do início ao fim da semana a sensação que temos é a de sermos a mistura de um velocista com um malabarista: corremos de um lado para o outro na maior velocidade fazendo um malabarismo maluco com nossos compromissos que giram no ar, sempre com aquela sensação de que não vai dar tempo e de que alguma coisa vai cair ao chão e se arrebentar em mil pedaços. Não é a toa que nossos corpos e mentes estão enviando mensagens de cansaço e fadiga: depressão, exaustão, hipertensão e outros tantos. Mas existe outro jeito de se viver? Vivemos assim por que queremos ou por que somos obrigados a viver? Bem, esta é uma questão que só podemos responder de forma pessoal, pois só você conhece sua rotina. No entanto, quero fazer algumas considerações de cunho bastante pessoal, mas que, creio, podem ser úteis.
Primeiro, reveja o que você define por “essencial”. O primeiro conselho que dou para pessoas sobrecarregadas é que sejam agressivas na gestão do tempo: cortem tudo que não for essencial. Contudo, muitas pessoas consideram assistir televisão, entrar no face 345234 vezes por dia e outras coisas totalmente essenciais. Essencial é essencial ora bolas! Tempo com o Eterno, tempo com sua família, tempo com os amigos, isso sim são coisas essenciais. Segundo, aprenda a dizer “não”. Nosso tempo é disputado por pessoas, eventos, hobbies, lazer, instituições e etc., etc. Uma forma de morrermos rápido é dizer sim para tudo. Logo, devemos aprender a dizer “não” para podermos dizer “sim” para o que é essencial. Por último, aprenda a descansar. O Eterno criou o dia em 6 dias e no sétimo descansou, nos convocando para imitá-lo ao trabalhar seis dias e ao repousar um dia (Gn 2.1-3; Êx 20.8-11). Lembre-se: este é um comando do Eterno! É uma ordem! Vinoth Ramachandra afirma que vivemos em uma era de idolatria do trabalho: ficar sem fazer nada parece pecado, então mergulhamos no ativismo. As Escrituras nos ensinam a trabalhar e então repousar com o fim de termos tempo com Deus, tempo para descansar e nos deleitarmos em nossos relacionamentos. Não é tempo jogado fora, não é apenas “tempo de não fazer nada”, mas é um tempo no qual medito na bondade do Pai que trabalha por mim e em mim mesmo quando descanso. O sábado cristão é mais do que não trabalhar, é aprender a descansar na obra redentora de Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador.

share

Recommended Posts